Grande História

A conta dos óbitos por covid-19 já está no colo de Bolsonaro

24.04.2020 - Brasília/DF - Encontro com Deputado Vitor Hugo (PSL/GO), Líder do Governo na Câmara dos Deputados e deputados no Palácio da Alvorada. Foto: Marcos Corrêa/PR

A confiança em Ramagem, a suspensão de Moraes, o ataque de Celso, a estupidez de Bolsonaro, a conta de tanta morte, e muito mais.

Jair Bolsonaro estava confiante no sucesso da nomeação de Alexandre Ramagem, homem indicado por Carlos Bolsonaro para o comando da Polícia Federal. O presidente da República já adiantava que seria reaberta a investigação sobre o atentado que sofreu na eleição de 2018. Eduardo Bolsonaro, com o testemunho de uma entidade que para ele fez campanha, garantia que a corporação não sofria interferência política. E a esposa do nomeado colecionava ataques a João Doria e Rodrigo Maia nas redes sociais. Mas os bolsolavistas não contavam com a astúcia de Alexandre de Moraes.

Ontem, a deputada federal Carla Zambelli associou o ministro do STF ao PCC. Hoje, enquanto a afilhada de Sergio Moro bajulava o presidente ignorando as recomendações sanitárias da OMS, Moraes suspendia a criminosa interferência do bajulado na PF. O ministro ainda acusou o presidente de protagonizar um gesto ditatorial. Não coube outra alternativa à caneta do vovô senão revogar a nomeação de Ramagem. Mas a boca não se aguentou e, durante a grotesca cerimônia de posse de André Mendonça como ministro da Justiça, entre elogios a Gilmar Mendes e Dias Toffoli, Bolsonaro prometeu que insistirá na indicação feita por Carluxo.

Flancos

O STF avança contra o governo Bolsonaro por dois flancos. No outro, Celso de Mello já havia ontem ignorado a citação a Moro para se focar nos crimes denunciados pelo ex-ministro contra o presidente da República. Hoje, o decano abriu um inquérito para investigar o episódio em que Abraham Weintraub, “sinistro” da Educação, cometeu seguidos posicionamentos racistas contra os chineses, requentando uma crise diplomática que, em meio à pandemia, atingiu o principal parceiro comercial do Brasil.

A grande ficha

Curiosamente, a “grande ficha” caiu para muitos justamente quando o Brasil ultrapassou a China no total de óbitos por covid-19. Ontem, o brasileiro acordou com o presidente da República sorridente praticando tiro, e dormiu na terceira nação em que o avanço do novo coronavírus mais tem matado. Questionado sobre a confirmação de mais de 5 mil mortes e um novo recorde diário, Bolsonaro simplesmente respondeu: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?” Hoje, contudo, amanheceu prometendo que “não vão botar no meu colo uma conta que não é minha“.

Não precisa

Mas não há como “botar” a conta no colo, pois ela já está lá. No mundo, ninguém sabotou mais o combate ao novo coronavírus do que Jair Bolsonaro, presidente da República Federativa do Brasil. A vergonha é internacional. A carnificina é local. O drama pertence principalmente às famílias mais carentes que, pela falta de testes suficientes, se veem impedidas até de virar estatística. Se a Justiça brasileira prefere aproveitar o momento para depenar o que resta de Lava Jato, que os livros de história ao menos sejam justos. E que essa seja a última geração de bolsonaros que ostenta orgulhosamente o sobrenome em público.

Curtas

  1. Toma lá, dá cá – Os cargos que Jair Bolsonaro admite negociar com o centrão somam mais de R$ 10 bilhões de orçamento livre só para este ano.
  2. O que tanto esconde? – Mesmo com a Justiça obrigando a apresentar o resultado do exame para novo coronavírus, o presidente insiste em não mostrá-lo – o que já rende mais certezas do que dúvidas.
  3. Eis as opções – Ou o Exército brasileiro é o mais frouxo do mundo, e sob pressão de hashtags beneficia milicianos revogando portarias a respeito do controle de armas, ou é o mais cínico.
  4. Ignorou – Provando que o apoio deste governo aos judeus não sobrevive a testes mais rigorosos, Ernesto Araújo falou um monte sobre apoiar Israel, mas evitou pedir desculpas pela comparação descabida entre o isolamento social e o holocausto.
  5. Não faltou alerta – Regina Duarte abriu mão de um contrato valiosíssimo com uma das maiores redes de comunicação do mundo para ser humilhada dentro do governo Bolsonaro pelo próprio presidente, que já quer a queda da secretária de Cultura.
  6. Segurança pública – Evidenciando que a queda no número de homicídios em 2019 era mais reflexo do trabalho realizado no último ano do governo Temer, o governo Bolsonaro terminou o primeiro bimestre deste ano com 8% de aumento no total de assassinatos.
  7. Hipocrisia – Na CNN Brasil, Caio Coppolla criticava o isolamento social mesmo tendo sido afastado por uma suspeita de covid-19 – que só agora se confirmou.
  8. Confinamento funciona – Após o comércio de Blumenau reabrir, cresceu em 160% os casos de novo coronavírus na cidade catarinense.
  9. ONU – Finalmente reagindo às diversas queixas de autoridades brasileiras, relatores da ONU alertam que a irresponsabilidade do governo Bolsonaro está colocando em risco a vida de milhões de pessoas.
  10. Golpe militar – O sonho de Jair Bolsonaro se realizou na Líbia, com o marechal Kalifa Haftar anunciando uma tomada de poder, o que é visto pelo Governo da União Nacional como um novo golpe de estado.

Um Pio

Abre Aspas

“Eu votei no Bolsonaro sabendo que ele era um jumento! Mas votei nele esperando um mínimo de honestidade, um mínimo de decência, que era o que faltava, e não teve. Além de burro, é corrupto!”

Fernando Holiday, vereador, analisando os movimentos recentes do presidente da República.

Vale Seguir

O Bot Sentinel está sempre entregando o que os bots –em especial, os de Carlos Bolsonaro– estão aprontando.

Fontes

Essa coluna só pôde ser escrita graças ao trabalho de uma imprensa profissional que apurou as informações referenciadas mais acima, e que aqui embaixo é reverenciada: BBC, BR Político, CNN Brasil, Correio Braziliense, Época, Estadão, Exame, Extra, Folha de S.Paulo, G1, IstoÉ, O Antagonista, O Globo, O Tempo, UOL e Veja.

24.04.2020 - Brasília/DF - Encontro com Deputado Vitor Hugo (PSL/GO), Líder do Governo na Câmara dos Deputados e deputados no Palácio da Alvorada. Foto: Marcos Corrêa/PR

A imagem que ilustra essa edição foi registrada em 24 de abril de 2020 por Marcos Corrêa, fotógrafo da Presidência da República, em Brasília, Distrito Federal. Nela, Jair Bolsonaro recebe deputados federais no Palácio da Alvorada.

Não existe país decente sem imprensa livre.

Canção do dia

Porque ele não é de nada. E essa cara amarrada é só um jeito de viver na pior.

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

To Top