Grande História

Governistas fizeram da Páscoa uma micareta com caixões

11.04.2020 - São Paulo/SP. Carreata contra quarentena na avenida Paulista. Foto: Roberto Parizotti/FotosPublicas

As mais de mil mortes por covid-19, a sabotagem de Bolsonaro, a micareta governista, a resposta de Mandetta, e muito mais.

Coincidiu de o Brasil superar oficialmente a milésima morte por covid-19 na Sexta-feira Santa. Por causa do atraso no resultado dos exames, o feito pode ter ocorrido quatro dias antes, o que só trazia mais preocupação àquele 10 de abril. Afinal, entre as 15 nações mais atingidas pelo novo coronavírus, o Brasil é a que menos testa seus cidadãos. Mas, para Jair Bolsonaro, nada disso importava.

A sabotagem presidencial durou todo o feriadão. Ainda na noite de quinta, foi vaiado ao passear por uma padaria. Em alusão ao próprio ministro da Saúde, disse que “médico não abandona paciente, mas paciente troca de médico“. De quebra, prometeu recorrer de decisão que permite a estados e municípios o controle do isolamento social. Na sexta, em mais um passeio por Brasília, esfregou o nariz antes de cumprimentar uma idosa, e alegou que tem o “direito constitucional de ir e vir“. No sábado, voltou a defender uma “volta à normalidade“. Em evento com Ronaldo Caiado, governador de Goiás, e Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, se entregou a várias aglomerações, e chegou a retirar a máscara para saudar simpatizantes. No domingo, sem qualquer evidência científica, disse a lideranças religiosas que “está começando a ir embora essa questão do vírus“.

Micareta fúnebre

A irresponsabilidade presidencial serviu de inspiração aos governistas mais apaixonados. No sábado, um advogado bolsonarista tentou parar a avenida Paulista ameaçando o governador João Doria. Quando anoiteceu, Bolsonaro surgiu em vídeo conversando com os manifestantes que ainda ignoravam o isolamento social. No domingo de Páscoa, o presidente da Embratur compartilhou um meme com a cabeça do presidente num corpo que dançava com um caixão no ombro. Era o mesmo meme que estimularia, novamente na avenida Paulista, uma dança coletiva com um caixão.

Empecilhos ao monitoramento

Se o mundo mapeia anonimamente o uso de celulares para medir o engajamento da população na quarentena, no Brasil, após Eduardo Bolsonaro criticar o governador por adotar medida semelhante em São Paulo, Jair Bolsonaro criou empecilhos para que o ministro da Ciência e Tecnologia faça o mesmo. São os sinais de celular, por exemplo, que mostraram as favelas cariocas abandonando o confinamento.

Cloroquina em queda

Defendida pelo presidente mesmo sem comprovação científica, a cloroquina vem perdendo credibilidade. Se, por um lado, o coronel que preside o ICMBio diz que está se curando “graças ao nosso presidente da República“, a Agência Nacional de Vigilância de Medicamentos da França reportou que 43 pacientes monitorados apresentaram complicações, incluindo sete paradas cardíacas, das quais 4 resultaram em óbito. Segundo o British Medical Journal, um veículo que serve de referência a publicações científicas, o uso do medicamento pode ser prejudicial a quem tenha covid-19. Por aqui, o Conselho Federal de Medida deve romper o silêncio alertando que “não há comprovação da eficácia” do uso do remédio contra o novo coronavírus.

Vai se ver na Globo

Foi nesse contexto que Mandetta contestou o chefe em ao menos meia dúzia de posicionamentos, em especial, quando apontou que não cabe ao presidente da República atuar como oposição ao Ministério da Saúde. A entrevista ao Fantástico deu duas vezes e meia a audiência de um especial com Bolsonaro exibido pelo SBT na mesma noite. Auxiliares do Planalto acharam afrontosa a conduta do ministro. A ala fardada do palácio encontrou um motivo para abandonar o apoio a Mandetta. O presidente da República, no entanto, alegou não ver tanta gravidade, e se contentou em dizer que não assiste à programação da Rede Globo.

Principal aliado do vírus

Para Arthur Virgílio, prefeito de Manaus: “o presidente Bolsonaro é, hoje, o principal aliado do vírus“. Para a ONG Human Rights Watch, “Jair Bolsonaro está colocando os brasileiros em grave perigo“. Para o PT, entretanto, não é o caso de aderir ao “fora, Bolsonaro”. Para FHC, inclusive, estaria faltando um “crime de responsabilidade claro” e “ambiente político no Congresso”.

Faltando o quê?!

No entanto, essa coluna sabe que Jair Bolsonaro não tem no Congresso nem 30 dos 171 votos que precisaria para se salvar de um processo de impeachment. E há todo um cardápio de crimes de responsabilidade para se escolher. Vontade política, no entanto, segue escassa mesmo com o presidente “colocando os brasileiros em grave perigo” e se portando como “principal aliado do vírus“.

Engavetador-geral da República

O caso de Augusto Aras é emblemático. Alega que não cabe a um procurado-geral da República ser “comentarista político” ou “auxiliar do presidente“. Mas caninamente atuou para que Bolsonaro possa sabotar o isolamento social trabalhado por governadores e prefeitos. E, mesmo ciente das publicações feitas nas redes sociais pela SECOM, disse que não ficou comprovada a existência da campanha “O Brasil Não Pode Parar”. Não é segredo que o engavetador sonha com uma vaga no STF desde o governo Dilma. E Bolsonaro indicará dois nomes até o próximo ano.

Desenhou

Curtas

  1. A covid-19 já matou ao menos 1.328 brasileiros, com o novo coronavírus infectando mais de 23 mil vítimas.
  2. Todavia, um grupo de pesquisadores ligados à PUC, USP e Fiocruz estima que o número de infectados pode ser 12 vezes maior, o que elevaria o total para além de 280 mil casos.
  3. Já é perceptível, por exemplo e razões óbvias, que há um número menor de casos reportados nos finais de semana.
  4. Também é perceptível à imprensa que cobre os quebra-queixos de Jair Bolsonaro que o cercadinhos dos puxa-sacos está cada dia mais vazio em Brasília.
  5. Se o endosso do médico Osmar Terra ao negacionismo de Bolsonaro já causa ânsia de vômito, a situação piora ao se constatar que a esposa do ex-ministro foi presa e torturada por Brilhante Ustra, o monstro idolatrado pelo ex-presidente em exercício.
  6. Enquanto o mercado brasileiro desperta para a realidade e prevê uma recessão de -1,96% para este ano, o Banco Mundial já antevê um tombo de -5%, uma situação ainda pior que a média da América Latina.
  7. Como desinformação não é uma exclusividade brasileira, as torres de celular no Reino Unido vêm sofrendo com incêndios criminosos porque alguns abilolados acreditam que o novo coronavírus é disseminado pelo acesso a conexões 5G.
  8. Boris Johnson, o primeiro-ministro que tornou o Brexit possível, recebeu alta assumindo que deve a vida não só ao sistema público de saúde do Reino Unido, mas em especial a dois imigrantes que, por dois dias, cuidaram do líder do Partido Conservador britânico.
  9. Em mais um efeito positivo do confinamento no meio ambiente, a queda na poluição fez com que o Himalaia volte a ficar visível para os indianos.
  10. Nas primeiras horas da manhã, aos 72 anos, o cantor e compositor Moraes Moreira morreu de um infarto agudo no miocárdio.

Um Pio

Abre Aspas

“Nunca subestime o poder de encantamento de um psicopata. A sua especialidade é conduzir com elegância ao cativeiro, provocar a ilusão de correspondência e amor. Assim como todo grande predador, o golpe fatal só é administrado quando se confirma a vulnerabilidade da vítima.”

Fábio de Melo, padre, diferente do que muitos imaginaram, pensando sobre relacionamentos abusivos.

Vale Seguir

O Teleguiado está sempre atento a aspectos que costumam escapar à cobertura da TV.

Fontes

Essa coluna só pôde ser escrita graças ao trabalho de uma imprensa profissional que apurou as informações referenciadas mais acima, e que aqui embaixo é reverenciada: BR Político, CNN Brasil, Congresso em Foco, Correio Braziliense, Crusoé, Época, Estadão, Folha de S.Paulo, G1, O Globo, Teleguiado, UOL, Veja e Zero Hora.

11.04.2020 - São Paulo/SP. Carreata contra quarentena na avenida Paulista. Foto: Roberto Parizotti/FotosPublicas

A imagem que ilustra essa edição foi registrada em 11 de abril de 2020 por Roberto Parizotti, fotógrafo do Fotos Públicas, em São Paulo, São Paulo. Nela, uma carreata governista protesta na avenida Paulista contra o isolamento social.

Não existe país decente sem imprensa livre.

Canção do dia

Porque chegou a hora de essa gente bronzeada mostrar seu valor.

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

To Top