Grande História

Impeachment é pouco

Jair Bolsonaro

É preciso não só interromper o projeto autoritário em curso, mas punir quem trama contra a democracia.

A Itália acumulava mais de mil mortes pelo novo coronavírus quando Jair Bolsonaro, dois dias após fazer pouco caso da pandemia, surgiu no Brasil de máscara na transmissão que habitualmente apresenta às quintas-feiras. O presidente da República estava sendo testado para a covid-19. Instantes depois, Bolsonaro usou dois terços de um pronunciamento nas redes de rádio e televisão para dar satisfações aos militantes que convocavam uma manifestação golpista para o próximo domingo. Na fala, ignorando que jurava ser este um ato cívico a favor do Brasil, pediu seu adiamento argumentando que um “tremendo recado” tinha sido dado ao Congresso.

A deputada federal Carla Zambelli comunicou na noite de ontem que, a pedido do chefe do Palácio do Planalto, os atos de domingo seriam cancelados. Em paralelo, a correligionária Bia Kicis espalhava nas redes que o teste de Bolsonaro tinha dado negativo, mas logo confessaria que entendeu errado uma mensagem de Eduardo Bolsonaro.

Passava das dez da manhã de hoje quando o jornal O Dia adiantou que o presidente da República testara positivo em um primeiro exame, mas ainda aguardava o resultado da contraprova. Minutos depois, apontando Eduardo Bolsonaro como fonte, a Fox News contou a mesma história, o que de imediato foi negado pelo Zero Três.

Às 12h41, em vez de colocar um ponto final na crise apresentando o resultado negativo da contraprova, Jair Bolsonaro preferiu se comportar como um tirano bizarro de uma República de Banana.

Apenas dez minutos depois, o R7, que está longe de ser um veículo crítico do bolsonarismo, sem apontar qualquer fonte, noticiou que Rodrigo Maia havia testado positivo num primeiro exame. Contudo, logo o presidente da Câmara esclareceu que nem havia feito qualquer teste.

Meia hora depois, John Roberts, correspondente-chefe da Casa Branca na Fox News, informou no Twitter que recebia de Eduardo Bolsonaro a informação de que a contraprova do presidente brasileiro tinha dado um resultado negativo. Numa atualização da matéria, o deputado chega a negar que tenha ouvido qualquer informação sobre um primeiro resultado positivo.

Ao fim da tarde, a coluna do jornal O Dia comunicou que a Presidência da República não iria divulgar os laudos do teste e contraprova de Bolsonaro – o que poderia sanar as dúvidas, mas resta claro que esse nunca foi o objetivo da família presidencial.

Nas redes sociais, muito se especulou que a confusão se originou da deficiência do inglês do Zero Três. Mas não se pode descartar o risco de ter nascido de uma deficiência no caráter do parlamentar.

Enquanto o mundo vive a crise mais grave que essa geração já conheceu, a família presidencial, colocando em risco a vida da população, aproveita para tumultuar o noticiário e prestar contas a uma agenda golpista.

Impeachment é pouco para resolver o problema. É preciso um plano a longo prazo, que não só interrompa o projeto autoritário em curso, mas também apure e puna devidamente todos os que tramaram e tramam contra a democracia.

Entre Aspas

“Bolsonaro’s son told Fox News that the preliminary test for coronavirus on his father has come back positive. They are waiting results on a second test.”

John Roberts, correspondente da Fox News na Casa Branca, confirmando ao mundo que Eduardo Bolsonaro mentia nas redes sociais.

Cuba não lançou

O que não significa que a imprensa esteja sendo impecável na cobertura dos acontecimentos. É uma lástima que o Correio Braziliense tenha se permitido uma manchete que, apesar de correta, alimente o boato de que Cuba teria descoberto uma vacina para o novo coronavírus. Ao mesmo tempo, é animador que o Estadão tenha deixado claro que o boato nasceu de um mal entendido.

Plano Guedes

Paulo Guedes prometeu lançar na semana que vem um pacote de medidas contra o coronavírus. Dentre elas, o monitoramento dos efeitos econômicos da crise, apoio a estados e municípios, e a liberação de linhas de créditos a bancos públicos como incentivo a pequenas e médias empresas. Em abril, sem necessidade de prova de vida, os aposentados já poderão sacar metade do décimo-terceiro. Rodrigo Maia alertou, no entanto, que o “Plano Guedes” mira mais a economia do que a pandemia em si.


Socializou a culpa

Ao prometer que “com 3, 4 ou 5 bilhões de reais” é possível aniquilar o vírus, o ministro da Economia volta a dar garantias insustentáveis. Em movimento que se viu já no início da semana, o mercado financeiro tentou se reerguer do desastre de ontem, com bolsas em alta, ainda que com o dólar em R$ 4,81, um novo recorde nominal. Das 15 semanas que Paulo Guedes tinha para mudar o Brasil, só restam treze. Enquanto isso, o “privatista” socializa a culpa pela alta cotação da moeda americana – problema que, há bem pouco tempo, o ministro nem reconhecia.

Preocupação

Segundo a CNN, Donald Trump não escondeu a preocupação com o contato que teve com Jair Bolsonaro e Fábio Wajngarten. O encontro durou algo em torno de dez minutos. Mas o presidente americano deveria estar mais preocupado com o fato de metade da população dos Estados Unidos não ter condições de arcar com o exame para saber se foi infectada pelo novo coronavírus. A primeira-dama do Canadá, por exemplo, já foi, o que fez Justin Trudeu, premiê canadense, iniciar uma quarentena. Do outro lado do planeta, Kim Jong Un abandonou a capital norte-coreana para não ser contaminado. Mas Singapura, Hong Kong e Japão são bons exemplos de como enfrentar o problema – de uma forma geral, evitando aglomerações, como São Paulo decidiu fazer na tarde de hoje.

Desenhou

Caos aéreo

Como as empresas aéreas podem ser punidas caso não façam uso dos aeroportos de onde costumam decolar, aviões seguem cruzando o planeta mesmo com poucos passageiros, em fenômeno conhecido como “voos fantasmas“. No entanto, a suspensão de voos da Europa para os Estados Unidos tem sido não só uma bomba no setor, mas mais um alerta de que a economia global entrará em recessão.

Outbreak

A edição deste ano do Grande Prêmio da Austrália de F1 já era. Aliás, os canais esportivos estão sofrendo com falta do que transmitir. A Disney, por sua vez, fechou as portas. Se alguém quiser se desligar do que está acontecendo no mundo, pode conferir Dustin Hoffman, Rene Russo, Morgan Freeman, Kevin Spacey, Cuba Gooding Jr, Donald Sutherland e Patrick Depmsey em Epidemia, clássico de 1995 disponível na Netflix.

Um Pio

Curtas

  1. O prefeito de Miami testou positivo para o novo coronavírus – sim, após evento que também contou com a participação da trupe de Jair Bolsonaro.
  2. Ironicamente, o México cogita fechar a fronteira ao norte por causa do avanço do novo coronavírus nos Estados Unidos.
  3. Karina Kufa, advogada de Jair Bolsonaro, confirmou que está com covid-19.
  4. Rodrigo Maia cogita fazer por WhatsApp as reuniões de líderes que antecedem as votações do plenário.
  5. O presidente da Câmara poderia aproveitar que, com o avanço do novo coronavírus, o Google liberou gratuitamente o uso de uma ferramenta de reuniões remotas que permite a participação de mais de cem mil espectadores.
  6. Infelizmente, não surpreende que o Clube Militar, que conta com a filiação do presidente e vice-presidente da República, e participou da convocação da manifestação golpista que aconteceria no próximo domingo, agende uma celebração do golpe de 1964.
  7. Em um episódio bizarro, o apresentador Milton Cardoso não deixou que Fábio Ostermann, deputado estadual pelo Novo do Rio Grande do Sul, argumentasse na Band RS a favor da legalização da maconha.
  8. A Globo nega a queda de audiência quando da exibição da série sobre Marielle Franco, mas O Antagonista defendeu os critérios utilizados no cálculo.
  9. A greve de fome iniciada por Marcola, líder do PCC, não durou um dia.
  10. Já são 151 casos de novo coronavírus no Brasil.

Vale Seguir

A Brasil Real Oficial é uma newsletter que diariamente pesca o que de mais relevante saiu do Diário Oficial da União, sempre em português de fácil assimilação. Há versão gratuita e paga. Clique na imagem abaixo para conhecer e se inscrever.

Fontes

Essa coluna só pôde ser escrita graças ao trabalho de uma imprensa profissional que apurou as informações referenciadas mais acima, e que aqui embaixo é reverenciada: BR Político, Correio Braziliense, CNN, Crusoé, Daily Mail, Época, Estadão, Folha de S.Paulo, Fox News, Globo Esporte, G1, Metrópoles, Miami Herald, O Antagonista, O Dia, O Globo, R7, Tec Mundo, UOL, Valor Investe e Veja.

Jair Bolsonaro

A imagem que ilustra essa edição foi registrada por Carolina Antunes, fotógrafa da Presidência da República, em 6 de março de 2020 quando Jair Bolsonaro gravava em Brasília um pronunciamento sobre o novo coronavírus.

Não existe país decente sem imprensa livre.

Canção do dia

Porque ainda somos livres para fazer o que quisermos. Ainda.

Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

To Top