19 de março de 2020

O que falta para o impeachment de Jair Bolsonaro

Até 15 de março, Donald Trump se referia à covid-19 como “CoronaVirus“. Desde então, o presidente dos Estados Unidos vem preferindo a expressão “Chinese Virus“. A iniciativa tem sido criticada, afinal, ao batizar a doença provocada pelo novo coronavírus, a OMS evitou termos que pudessem gerar qualquer tipo de preconceito contra animais, povos e países. Trump alega que, se o vírus de fato veio da China, ele não está sendo racista. Os analistas observam, no entanto, que o republicano alimenta uma militância xenofóbica na busca por um discurso que facilite a reeleição ao final deste ano.

Continuar lendo O que falta para o impeachment de Jair Bolsonaro
20 de março de 2020

Após participar de ato golpista, Bolsonaro estuda estado de sítio

Como nenhuma gripe conhecida por essa geração resultou numa fila de caminhões militares para o transporte de caixões que se acumulavam num distrito italiano, é possível sepultar uma das primeiras narrativas experimentadas por Jair Bolsonaro: a de que o temor do novo coronavírus não passaria de histeria. Tanto que a Espanha, a exemplo de China, Irã e Itália, passou a integrar o trágico ranking de países que já superaram as mil mortes por covid-19. Ao todo, o mundo já acumula mais de 10 mil vítimas fatais.

Continuar lendo Após participar de ato golpista, Bolsonaro estuda estado de sítio
6 de abril de 2020

Adiar o impeachment de Bolsonaro é um luxo que não cabe ao Brasil

O mundo todo enfrenta duas crises: uma sanitária, em decorrência do avanço da covid-19, e uma econômica, em decorrência da crise sanitária. O Brasil, por sua vez, enfrenta três: uma sanitária, uma econômica e uma política. Com o agravante de que a política, levando a um número maior de óbitos, e a uma recessão ainda mais profunda, dificulta o enfrentamento das outras duas.

Continuar lendo Adiar o impeachment de Bolsonaro é um luxo que não cabe ao Brasil
7 de abril de 2020

Na prática, Bolsonaro sofreu uma intervenção militar

A notícia de que Jair Bolsonaro se decidira pela demissão do ministro da Saúde foi recebida nas redes sociais com cautela. Afinal, havia o risco de tudo não passar de uma mentira disseminada com o objetivo de humilhar a imprensa, uma jogada manjada do manual de Steve Bannon. Mas o terceiro ato não se concretizou, e o presidente da República não veio a público chamar de “fake news” as informações sobre a substituição de Luiz Henrique Mandetta por Osmar Terra.

Continuar lendo Na prática, Bolsonaro sofreu uma intervenção militar
9 de abril de 2020

Escutem os especialistas, ignorem os idiotas

Em meados dos anos 1950, sem o mesmo rigor trabalhado atualmente, a indústria farmacêutica estava certa de que era seguro receitar talidomida para grávidas não mais sentirem enjoos matinais. Após 8 anos, com 46 países comercializando o produto, o sedativo foi retirado de circulação. Até 1962, mais de 10 mil bebês tinham nascido com má formação nas pernas e braços em decorrência do uso da droga. Na época, como o FDA exigiu testes mais firmes, os Estados Unidos escaparam da tragédia. Mas Alemanha, Reino Unido, Austrália e Brasil vivenciaram o drama. Desde então, o caso é exemplo da necessidade dos devidos testes de laboratório antes de uma medicação ser lançada no mercado.

Continuar lendo Escutem os especialistas, ignorem os idiotas