21.01.2020 - Brasília/DF - O presidente Jair Bolsonaro, o vice-presidente da República, General Hamilton Mourão e os ministros de estado participam de hasteamento da bandeira em frente ao Palácio da Alvorada. Foto: José Cruz/Agência Brasil
20 de maio de 2020 | Por Marlos Ápyus

A aliança com o centrão prova que o governo Mourão pode acontecer

Ontem, o monitoramento da covid-19 superou pela primeira vez no Brasil a marca de mil óbitos em um único dia. Como bem apontou o roteirista Antonio Tabet, as 1.179 mortes equivaliam à soma de outras tragédias que pararam o país, como o rompimento das barragens de Brumadinho (270 vítimas fatais), o incêndio na boate Kiss (242), a queda do voo da Air France (228), a queda do avião da TAM (199), o massacre de Carandiru (111), a queda da aeronave da Chapecoense (71), a explosão no Osasco Plaza Shopping (40), o incêndio no Flamengo (10) e a chacina da Candelária (8). Mesmo assim, a primeira imagem que os brasileiros tiveram do presidente da República exibia Jair Bolsonaro sorridente fazendo um trocadilho de graça questionável com as palavras “cloroquina” e “Tubaína”, o que rendeu protesto da marca.

Continuar lendo A aliança com o centrão prova que o governo Mourão pode acontecer
20.05.2020 - Brasília/DF - O presidente Jair Bolsonaro durante videoconferência com Governadores dos Estados. Foto: Marcos Corrêa/PR
25 de maio de 2020 | Por Marlos Ápyus

Jair Bolsonaro há muito abandonou o combate à corrupção

Em entrevista ao Fantástico, Sergio Moro confirmou o que está evidente desde meados de 2019: Jair Bolsonaro há muito abandonou a principal bandeira de campanha, o combate à corrupção. O delegado Waldir, que chegou a liderar a bancada do PSL na Câmara Federal, foi ainda mais claro, garantindo que o presidente da República “trabalhou para impedir a prisão em segunda instância” e “ajudou a colocar o Lula em liberdade”.

Continuar lendo Jair Bolsonaro há muito abandonou o combate à corrupção
29.04.2020 - Brasília/DF - Audiência com Braga Netto, Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República; Paulo Guedes, Ministro de Estado da Economia; Luiz Eduardo Ramos, Ministro-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República; e Deputado Fábio Faria (PSD/RN). Foto: Marcos Corrêa/PR
27 de maio de 2020 | Por Marlos Ápyus

A “Terra Plana” do bolsolavismo não gira, ela capota

Um dia após avançar contra Wilson Witzel, um dos principais adversários políticos de Jair Bolsonaro, a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão expedidos por Alexandre Moraes no polêmico inquérito em que o próprio STF apura a disseminação de notícias falsas. Dentre os alvos, havia 6 deputados federais do PSL, dois deputados estaduais da mesma sigla, quatro empresários bolsolavistas e todo um elenco bizarro de influenciadores digitais que aqui nem serão nomeados pois, como ensinou Ricardo Boechat, não se deve dar palanque para otário.

Continuar lendo A “Terra Plana” do bolsolavismo não gira, ela capota
15.05.2020 - Brasília/DF - Presidente Jair Bolsonaro e a primeira dama durante Lançamento da Campanha de Conscientização e Enfrentamento à Violência Doméstica. Foto: Marcos Corrêa/PR
2 de junho de 2020 | Por Marlos Ápyus

Jair Bolsonaro conseguiu as 30 mil mortes, falta a guerra civil

Em 1999, Jair Bolsonaro concedeu uma polêmica entrevista ao programa “Câmera Aberta”, da Band. De uma longa sequência de absurdos, ficou na memória o trecho no qual diz que o país só melhoraria “quando nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro, e fazendo o trabalho que o regime militar não fez, matando uns 30 mil“. Depois de citar o ainda presidente Fernando Henrique Cardoso como o primeiro a ser executado, o deputado federal acrescentou: “se vai morrer alguns inocentes, tudo bem, tudo quanto é guerra morre inocente“.

Continuar lendo Jair Bolsonaro conseguiu as 30 mil mortes, falta a guerra civil
19.05.2020 - São Paulo/SP - Centrais sindicais convocam ato contra politica do governo Jair Bolsonaro. Foto: Roberto Parizotti/Fotos Publicas.
8 de junho de 2020 | Por Marlos Ápyus

E ocultareis a verdade, e o impeachment vos derrubará

Na última quinta-feira, a cada 59 segundos, o Brasil confirmava mais um óbito por covid-19. Era um um ritmo tão alucinante que assustou até o Papa Francisco. Como esperado, Jair Bolsonaro tinha interesse em esconder do mundo a tragédia que ele próprio fomentara. Assim, para escapar do Jornal Nacional, passou a adiar em três horas a atualização dos dados da pandemia. Mas o tiro saiu pela culatra, com o jornalismo da Globo fixando um “plantão” durante a novela das nove, o que chamou bem mais atenção das redes sociais, e passou a atingir uma audiência ainda maior.

Continuar lendo E ocultareis a verdade, e o impeachment vos derrubará
25.05.2020 - Brasília/DF - Presidente da República Jair Bolsonaro, participa por videoconferência da Solenidade de Posse do Subprocurador-Geral da República Carlos Alberto Vilhena no cargo de Procurador Federal dos Direitos do Cidadão para o biênio 2020-2022. Foto: Marcos Corrêa/PR
9 de junho de 2020 | Por Marlos Ápyus

O gabinete do ódio é o que mais tolhe a liberdade de expressão no Brasil

Durante a maior crise sanitária em um século, o Congresso brasileiro se vê obrigado a votar uma lei delicadíssima que, se mal calculada, pode trazer prejuízo à liberdade de expressão na web. E tudo isso se faz necessário por culpa de Jair Bolsonaro. Porque o presidente da República levou para o Palácio do Planalto a máquina de linchamentos virtuais que o elegeu. Tocada por ex-assessores de Carlos Bolsonaro, ela viria a ser apelidada de “gabinete do ódio“.

Continuar lendo O gabinete do ódio é o que mais tolhe a liberdade de expressão no Brasil
10.06.2020 - Brasília/DF - O presidente Jair Bolsonaro, Paulo Guedes durante videoconferência. Foto: Isac Nóbrega/PR
12 de junho de 2020 | Por Marlos Ápyus

Para blindar Bolsonaro da Justiça, vale até reinventar ministério

Em 3 de setembro de 2018, Jair Bolsonaro disse que “não podemos continuar com essa política que busca apoio através de distribuição de cargos, ministérios e diretorias“. Vinte dias depois, assumiu o “compromisso de reduzir número de ministérios“. No 1º de outubro daquele ano, argumentou que, “se ministérios e cargos continuarem sendo distribuídos a partidos políticos em troca de apoio“, milhares de obras continuariam paradas. No mesmo dia, prometeu que “obteremos receita (…) cortando ministérios e estatais“.

Continuar lendo Para blindar Bolsonaro da Justiça, vale até reinventar ministério